FAMÍLIA ACOLHEDORA
Responsável: Prefeitura de Piracicaba
Comentários desativados em FAMÍLIA ACOLHEDORA

Um bom lugar para um momento difícil

Algumas vezes, em seu próprio benefício, uma criança ou adolescente precisa ser afastado temporariamente de sua família, para a garantia de sua segurança e proteção. Uma situação dramática que só pode ser indicada por técnicos especializados e realizada por meio de determinação judicial.  Mas o que fazer com essa criança, que já experimenta violação dos direitos na sua família e precisa vivenciar o afastamento?

Para diminuir o impacto e os traumas advindos desse processo de separação temporária, foi criado o Projeto Família Acolhedora, que provê um lugar de abrigo e proteção junto à famílias, evitando o abrigamento institucional.

A Prefeitura de Piracicaba, comprometida com a qualidade dos serviços oferecidos a crianças e adolescente no município, implantou o Família Acolhedora, estabelecido sob a Lei Municipal n.º 7.681 de 03 de setembro de 2013, para buscar acolhimento familiar para as crianças e adolescentes cuja condição de vida, com risco e vulnerabilidade, demanda a intervenção do poder público.

O acolhimento pode durar até dois anos, tempo em que a família de origem recebe atendimento – acompanhamento, inclusão em políticas públicas de saúde, educação, geração de trabalho e renda – para que se estruture para receber de volta a criança ou adolescente.

Um espaço saudável e acolhedor

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, responsável pela execução do projeto, cadastra as famílias interessadas em receber as crianças.  Para candidatar-se a ser uma família acolhedora, os interessados devem ser maiores de 25 anos, não podem ter dependentes químicos morando em sua casa e toda a família precisa concordar com o acolhimento. Os candidatos precisam também estar conscientes que a adoção das crianças em acolhimento não será possível.

Essas famílias passarão por um processo de seleção e de capacitação para que possam desempenhar um papel realmente significativo neste momento de crise.

A capacitação é um momento fundamental para o sucesso do projeto, na medida em que situa a família acolhedora sobre as questões mais importantes relativas às condições de vida das crianças e suas famílias de origem. A preocupação é ampliar a percepção sobre os problemas que são vivenciados no âmbito familiar e sobre o papel desse núcleo na construção de vínculos afetivos e no desenvolvimento saudável da criança.

Técnicos especializados abordam, durante a capacitação, qual é o papel da família acolhedora e discute casos concretos de violação de direitos; fala dos arranjos familiares atuais e sobre a importância da valorização da história de vida da criança e do adolescente.  Além disso, o técnico também discute o que é uma medida de proteção e seus objetivos, e propõe uma reflexão sobre os motivos que levaram a família a se disponibilizar a acolher uma criança.

A equipe técnica do projeto, além de cadastrar, selecionar e capacitar as famílias acolhedoras, vai acompanhá-la durante todo o período de acolhimento. Acompanha também o desenvolvimento da criança e o processo de estruturação da família de origem. No menor tempo possível, a criança retorna a sua família e, aí também, a equipe técnica atua para apoiar na reconstrução dos vínculos.

Piracicaba consolida uma política que tem como premissa que o melhor lugar para a criança é junto à família. E para isso, toda a sociedade deve ser convocada a participar de espaços de formação, proteção e promoção social para aqueles que precisam de apoio.

Saiba mais sobre o projeto em http://www.semdes.piracicaba.sp.gov.br/detalhes.php?post=74