PROJETO MAROMBA
Responsável: Prefeitura de Santarém
Comentários desativados em PROJETO MAROMBA

No primeiro ano de gestão de Alexandre Von, a Prefeitura de Santarém, no Pará, avançou muito na inclusão de famílias de baixa renda em projetos sociais e no Cadastro Único, criando mecanismos de garantia de direitos sociais.

De janeiro a julho de 2013, o Projeto Maromba, uma estratégia de Busca Ativa das famílias em situação de pobreza e privações sociais, cadastrou mais de 700 famílias ribeirinhas. De julho a outubro, só no Programa Bolsa Verde, foram incluídas outras cinco mil famílias de Lago Grande, Arapiuns, Tapajós e Várzea.

Uma equipe multidisciplinar chegava até às comunidades mais distantes do município para encontrar aquelas famílias que continuavam vivendo privações sociais, sem acesso às políticas públicas. Médicos, assistentes sociais, dentistas e educadores levaram ações como vacinação e outros serviços de saúde, apresentações culturais, inserção no Cadastro Único e encaminhamentos para políticas públicas de garantia de direitos.

 

Uma estratégia de ação adequada à realidade local

O projeto foi desenvolvido tendo em vista a realidade geográfica de Santarém.  O objetivo era solucionar as dificuldades de inserção nos programas sociais daquelas famílias que verdadeiramente mais precisam das políticas públicas e que não têm acesso a elas devido a uma série de fatores. Além das privações como falta de renda, baixa escolaridade e pouco acesso à informação, essas famílias convivem com a dificuldade e chegar até os equipamentos públicos, devido à localização de suas moradias, muitas vezes isoladas em ilhas.

São famílias que vivem nas comunidades ribeirinhas do município de Santarém, que são extremamente vulneráveis e de difícil acesso.  Sua localização constitui um dos grandes entraves para a inclusão dessas populações nos serviços sociais oferecidos pelo poder público. Para chegar a algumas dessas localidades, acessíveis apenas pelos rios, o deslocamento de barco pode durar até 10 horas.

Para a Prefeitura de Santarém, o processo de busca ativa constituiu uma estratégia fundamental de inclusão social. Além disso, o encontro e o diagnóstico resultante do cadastramento da família possibilitou um novo conhecimento que, por usa vez, pode gerar alternativas concretas e adequadas ao atendimento das verdadeiras demandas locais.

O Projeto Maromba representou um grande avanço na área social não apenas do ponto de vista da gestão, mas principalmente na demonstração de que é fundamental e possível a inclusão daqueles segmentos da população que são, na verdade, o grande desafio para a assistência social e para as políticas de combate à pobreza.